Pesquisa:     
 


 
 

A Coudelaria Oliveira e Sousa é uma das coudelarias mais antigas de Portugal, mantendo-se na mesma família, e em actividade, desde 1897.


Foi António José da Silva, originário de Salvaterra de Magos, quem a iniciou, pois a produção cavalar era, na época, uma das produções agrícolas imprecindíveis na agricultura.


Os cavalos e éguas eram utilizados no maneio de gado, como animais de tracção, na debulha e transporte dos cereais do campo para as eiras.


 


 


 


 
 
 

Desde então, os seus registos particulares constituem um “Stud Book” Privado, pois desde o fim do século IXX que são conhecidase registadoas as origens e destino dos produtos pelo que não podemos deixar de considerar tratar-se do “Stud Book Oliveira e Sousa” cujos animais apresemtam características próprias resultado de uma selecção apurada.


 
Chegados aos dias de hoje, a éguada e seus produtos, inscritos na totalidade no Livro Genealógico da Raça Lusitana, apresentam uma excepcional estrutura óssea, boa conformação, e a índole essencial para a utilização do cavalo OLIVEIRA e SOUSA nas várias disciplinas equestres ou, simplesmente, em utilização lúdica.
Quando em 1967 foi iniciado o Livro genealógico da raça lusitana, foi a coudelaria OLIVEIRA e SOUSA uma das primeiras a aderir tendo visto aprovadas e inscritas de imediato, no Livro de Reprodutores, 23 éguas de seu ferro comprovando-se assim a correcção geral do efectivo e a acertada selecção levada a cabo.
 
 
.

Temos procedido ao melhoramento com a utilização de garanhões próprios, previamente seleccionados, e, periodicamente, outros provenientes dos depósitos de garanhões do Estado e alguns privados.


A selecção, preferencialmente funcional, não tem descorado os aspectos estéticos que foram evoluindo com o passar dos tempos.


Para se atingirem os objectivos que ao longo dos tempos se foram apresentando aos seleccionadores a éguada esta foi evoluindo de modo a que os seus produtos fossem requeridos e apreciados pelo Exército e GNR, sendo a remonta durante muito tempo um dos principais utilizadores finais dos produtos da coudelaria, a par de Campinos, e da sua utilização em trabalhos de campo, debulha, recolha do arroz, apartação de gado, etc;


Ampliar imagem numa nova janela
Ampliar imagem numa nova janela
Ampliar imagem numa nova janela

A fim de garantir a identidade dos produtos è efectuada, anualmente, a confirmação da paternidade à totalidade dos poldros e poldras, nascidos nesse ano, através de testes de ADN.


Para uma identificação mais célere, a totalidade do efectivo é portador de microship sendo aplicados até três dias após o nascimento.


Ampliar imagem numa nova janela

Hoje, a coudelaria OLIVEIRA  SOUSA, sócio nº 2 da Associação Portuguesa de Criadores de Cavalos Puro Sangue Lusitano (APSL), com um efectivo bastante menor, 12 éguas produtoras, todas elas inscritas no Livro de Reprodutores da Raça Lusitana, procura o melhoramento dos seus produtos preparando-os e submetendo-os a provas de Ensino clássico “Dressage”, Equitação de Trabalho, ensaia-se a atrelagem, experimentam-se com a tourinha e mesmo com o toiro, tendo como objectivo primordial a funcionalidade de um cavalo robusto, saudável, com boa cabeça, isto é, manso e sem medo, mas com carácter, facilidade de aprendizagem e vontade de trabalhar.


Para conseguir estes objectivos, os produtos são recolhidos aos 3 anos de idade  na Quinta do Maçapez em Salvaterra de Magos, iniciando-se o desbaste, tanto de machos como de fêmeas, findo o qual as fêmeas seleccionadas são novamente integradas na éguada iniciando a reprodução aos 4 anos de idade.


Os machos seguem a aprendizagem privilegiando-se a funcionalidade na disciplina para a qual mostrem melhor aptidão.


Na sequência do que atrás foi dito apresentamos aqui os três garanhões da coudelaria em uso actualmente.


Ao longo da vida desta coudelaria orgulhamo-nos de as nossas éguas terem dado início, nos anos 80 do seculo XX,  a algumas coudelarias Estrangeiras, nomeadamente no Brasil e em Espanha, e já no actual século XXI, mais precisamente em 2002, deram origem a duas coudelarias Portuguesas e levaram um refrescamento genético a pelo menos uma outra.


Login
 
 
Novo Registo
Recuperar Password
METEOROLOGIA
NOTICIAS
VISITE-NOS

Se pretender dispender mais de um dia nesta região, tem alojamento na Casa do Massapez, no mesmo espaço das Cavalariças e a dois minutos de Salvaterra de Magos


BOMSITE.COM - Visita Nº 70809